TRATAMENTO PARA ANSIEDADE COM ACUPUNTURA AURICULAR


A acupuntura é uma técnica criada na China 5 mil anos antes de Cristo e até hoje nos mostra o tamanho dessa sabedoria e como podemos nos beneficiar dela de uma forma natural, simples e que traz grandes resultado em pouco tempo.
A ANSIEDADE é um mal que atinge muitos nesses dias frenéticos que vivemos atualmente. É um fator que nos atrapalha nas atividades do dia a dia e pode ser muito prejudicial quando se manifesta de uma maneira muito invasiva.Sendo assim, a acupuntura auricular é um método que ajuda de forma rápida e efetiva.
A essência da acupuntura auricular (ou auriculoterapia), bem como toda a medicina tradicional chinesa, é o equilíbrio, após uma boa conversa na nossa primeira avaliação, descobrimos quais são os pontos em maior desequilíbrio que possam estar causando a ansiedade. Dessa forma, fazemos a aplicação de micro implantes de agulha (que ficarão na sua orelha por 6 ou 7 dias) no caso das agulhas não é necessário mais nenhum tipo de estimulo. Podemos usar também sementes de mostarda, esferas ouro e prata, para estimular ou sedar respectivamente e cristais, neste caso as sementes, as esferas ou os cristais também ficam 6 ou 7 dias, a diferença é que elas exigem estimulo diário, mas nada complexo! De forma paralela, também podemos usar micro estímulos elétricos nos pontos.
É fácil perceber que a ansiedade diminui já na primeira sessão e em apenas 4 sessões a ansiedade diminui de forma muito significativa, podendo até desaparecer, pois seu corpo/cérebro, está muito mais equilibrado devido o uso desse tipo de acupuntura nos pontos certos, sem nenhum uso de remédio ou produto químico. Você já consegue sentir diferença logo após a primeira aplicação, verá que sairá do consultório mais tranquilo.

Imagino que você esteja cheio de dúvidas e curiosidades sobre a técnica, então fique a vontade em perguntar e tirar suas dúvidas.

Funciona muito bem, posso garantir!

Rafael Leitoles Remer
Acupunturista Auricular
Auriculoterapeuta

Psicólogo

Fones: 3082-8778 e 99182-1966

Ou

Pode deixar suas dúvidas nos comentários abaixo, lhe responderei prontamente!

A Acupuntura Auricular também é muito eficiente em casos de:

  • Depressão
  • Insônia
  • Transtorno Bipolar
  • Demais Transtornos de Ansiedade
  • Relaxamento
  • Emagrecimento (diminuição da fome e equilíbrio do aparelho digestivo)
  • Tabagismo (70% dos pacientes param de fumar em apenas 4 sessões)

in(500x350)-c2cc479855e95e123498ec2b125b4da3

Cada um merece a sua própria terapia

            Pesquisadores tem a curiosa necessidade de comparar uma forma de tratamento psicoterapêutico com outro tratamento (farmacológico, ou outra forma de terapia), para assim poder fornecer um projeto de terapia “padronizada”, ou seja, uma terapia que serviria para todas as pessoas, a terapia seria sempre igual, como se programássemos robôs, uns iguais aos forma… mas e o ser humano… seriamos todos iguais? De forma alguma! Essa padronização torna a terapia menos real e eficaz.

Todo ser humano é único, por isso acredito que a terapia deva ser espontânea, o relacionamento deve ser dinâmico e deve estar em constante evolução, sem contar que existe uma sequência contínua de se vivenciar e, em seguida, se examinar o processo terapêutico – e não somente pelo terapeuta, mas também pelo paciente.

Em sua autobiografia, Jung descreve sua avaliação da singularidade do mundo interno e linguagem de cada paciente – singularidade essa que exige que o terapeuta invente uma nova linguagem terapêutica para cada paciente. Eu posso estar exagerando nessa questão, mas penso que a presente “crise” na psicoterapia é tão grave, e a espontaneidade do terapeuta encontra-se em perigo, que faz necessário que se tomem medidas radicais. É preciso avançar ainda mais:o terapeuta deve se empenhar em criar uma terapia para cada paciente.

Naturalmente a importância da técnica existe, mas tem significado diferentes para diferentes terapeutas, seja pela sua vivência pessoal, seja pela sua grande ou pequena experiência. Por exemplo, uma pessoa precisa de técnica para aprender a tocar piano, mas, no final, quando se quer criar uma música, é primordial se transcender a técnica aprendida e confiar nos próprios gestos espontâneos.

É preciso tentar, é necessário ousar, é fundamental quebrar paradigmas e se desprender um pouco das técnicas, assim se usa o potencial criativo que existe dentro de cada um. Para mim não é possível fazer psicoterapia usando padrões. Afinal trato de pessoas, de seres humanos únicos e não de patologias! Humanizar a psicologia é preciso…

Interrogações

???????

Tudo precisa ser entendido? Definido? Explicado? Rotulado? Será que algumas coisas não são como são e pronto?

Me encontrei (será?) pensando nisso enquanto tentava “entender” algumas coisas, aí questiono novamente: será que não pensei nisso simplesmente pela minha limitação em “entender” ou “explicar” muitas interrogações???

Será que o que está adormecido, pode ter adormecido para sempre? Que nunca mais acorde para tentar ser “entendido” ou “explicado”? Ou será que ele está esperando o momento certo (ou não) para acordar? Será que é ele mesmo que está dormindo, ou sou eu que adormeci em alguns momentos?

Mais interrogações??? Afinal o que é e o que não é relevante para ser questionado, “explicado”, “entendido” ou esquecido??? Quem decide isso? Meu inconsciente ou meu consciente? Será que eles estão brigando pra decidir isso agora??? Será que um tenta “explicar” a relevância de  se “entender”  isso tudo  para o outro??

Me deparo diariamente com essas situações, penso que muitas podem ser internas, minhas mesmo, do contrário não chamariam tanto minha atenção. Quando me deparo com elas em ambiente clinico, por exemplo, “você vai procurar uma mulher igual a sua mãe”, “você é carente assim pela falta do seu pai na sua infância”… não consigo acreditar nisso… não podemos ser limitados a isso simplesmente… ou podemos?

Para muitos, essas “explicações” prontas, fazem bem, são ótimas, mas onde fica a individualidade? A mim não serve uma resposta delivery , mas se ela faz bem ao outro? Quem sou eu para decidir? Será que o “pronto” não faz parte da individualidade dele?

Confesso que li, reli e me veio mais uma interrogação… de onde vieram todas essas linhas???

A única coisa que consigo concluir é que as interrogações precisam ser uma constante, ao menos para mim, elas me fazem refletir, pensar, devanear e às vezes só encontrar mais interrogações. E agora???

  •  Rafael Leitoles Remer – Psicólogo
  • CRP:08/09332 – Auriculoterapeuta
  • Psicólogo em Curitiba

Parábola do Porco Espinho

Parábola do Porco Espinho

Rafael Leitoles Remer – Psicólogo

CRP:08/09332 – Auriculoterapeuta

Psicólogo em Curitiba

TOP
Open chat
Powered by