Drogas, porque?

O motivo pelo qual as pessoas não conseguem abandonar seu s vícios é o fato de eles funcionarem – temporariamente. Voltar-se para algo que produz repetidamente uma espécie de conforto dás às pessoas uma falsa sensação de segurança. Elas conseguem afastar a dor de não conseguirem satisfazer as suas necessidades mais profundas.

Os relacionamentos são desafiantes e trabalhosos porque nos fazem exigências. As coisas concretas são sempre as mesmas; sabemos o que esperar delas.

No entanto, a satisfação que vem do uso de coisas materiais como substitutos não é duradoura. A dor das necessidades essenciais acaba reaparecendo, e por isso voltamos à solução mais fácil, apesar de descobrirmos aos poucos que ela não é suficiente. Passamos então a precisar de uma quantidade cada vez maior, embora algo dentro de nós saiba que não é dela que realmente precisamos. É por isso que a dependência química é chamada de doença progressiva

A droga, muitas vezes da a impressão de que conseguimos enfrentar problemas, realmente, mas enfrentar problemas não é o mesmo que resolvê-los. Os “demônios” acabam voltando e é preciso uma estratégia mais eficiente para enfrenta-los porque a antiga droga pode não estar mais funcionando.

Assim as pessoas apelam para uma substância material procurando lidar com sentimentos que só poderiam ser examinados e resolvidos nos relacionamentos com outras pessoas.

Rafael Leitoles Remer, Psicólogo em Curitiba- CRP: 08/09332
O link abaixo, é de um artigo deste mesmo site, coloco-o aí para facilitar. É um texto relativamente longo, mas que vale a pena ser lido. Trás um pouco da teoria sobre as drogas, como elas funcionam no organismo, sua classificação, as drogas na sociedade, na família, como se dá a dependência, porque os filhos usam drogas, entre outros. Se você quiser mais informações de casos de tratamento que funcionaram nesse processo de dependência química, me peça individualmente que eu lhe envio, pre firo evitar exposição. Mas leia, é esclarecedor! 

Drogas

Comentários do Facebook


2 Comentários para "Drogas, porque?"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *